The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

ACSUm dos melhores lançamentos da TV em 2016.

Sim, eu sei que o ano está apenas na metade e com certeza teremos grandes novidades pela frente, principalmente na fall season. Mas vamos combinar que American Crime Story chegou cheia de expectativas e surpreendeu demais com sua primeira temporada. A série conseguiu ser uma das melhores coisas que a TV lançou nos últimos tempos.

ACS é uma antologia de crimes, onde em cada temporada veremos histórias totalmente independentes e baseadas em algum crime real que ganhou bastante destaque no público. Em seu primeiro ano a produção teve como foco o julgamento do ex-jogador de futebol americano O.J. Simpson, acusado em 1994 de assassinar a esposa Nicole Brown e o amigo Ronal Goldman. Na série, a história é contada através da visão dos advogados que conduziram o caso, onde ao longo dos dez episódios vimos essa longa e cansativa batalha.

Confesso que no terceiro episódio eu desanimei um pouco, pois estava achando o ritmo da série muito devagar, mas não demorou muito até pegar o jeito da coisa e ficar aqui totalmente colado na tela, tentando descobrir o que iria acontecer e como essa história toda iria terminar. Eu não li o livro e também não conhecia muito sobre a história de O.J., então podem acreditar quando eu digo que não fazia a mínima ideia do desfecho da história.

Todo o caso teve uma repercussão absurda, tanto pelo fato do réu ser uma figura pública, como por toda polêmica envolvendo o preconceito racial que era bastante intensa na época. Aos poucos vimos os times de advogados serem montados, tanto da defesa quanto da acusação, com cada parte tentando criar a melhor imagem possível. A seleção dos júris também foi outro problema nada simples de resolver.

American-Crime-Story-bO julgamento foi muito bem desenvolvido, com cada detalhe surgindo ao longo dos episódios e quando uma parte imaginava que estava a frente e próximo da vitória, uma nova reviravolta surgia e percebíamos que a briga estava bem longe de terminar. Era ataque de tudo quanto é lado, com direito a Johnny Cochran jogando sujo em diversas vezes.

Numa dessas jogadas sujas do time da defesa, Marcia Clark foi o alvo. Foi exatamente sexto episódio, que pra mim foi um dos melhores de toda a temporada. Vimos Marcia ser absurdamente humilhada pela imprensa, após receber críticas pesadas sobre sua aparência e até mesmo surgirem fotos íntimas vendidas por um ex-marido. Ao mesmo tempo, a advogada enfrentava uma briga na justiça para não perder a guarda de seus filhos, o que deixou toda a situação ainda mais tensa.

Sarah Paulson foi uma atriz espetacular durante toda a temporada, mas nesse sexto episódio estava tão impecável que a minha vontade era pular dentro da tela e dar um abraço naquela mulher. Ela definitivamente merece prêmios por sua atuação na série, assim como outros integrantes do elenco que também se destacara. Particularmente não topei muito com Cuba Gooding Jr. no papel de OJ Simpson, mas ao longo dos episódios fui me acostumando um pouco mais.

O incidente com a luva, onde OJ experimentou no tribunal e bagunçou ainda mais a cabeça do público após o objeto não servir foi outro ponto alto da temporada. Agora toda a polêmica envolvendo Fuhrman, falando sobre os negros e citando até a esposa do juiz que estava a frente do caso foi de longe uma das coisas mais pesadas que a temporada trouxe. O interessante foi a forma como cada um desses plots foi perfeitamente amarrado na história.

American-Crime-StoryNo final das contas as evidências contra OJ Simpson eram nítidas e deixavam claro o quanto o cara era culpado, mas no último episódio da temporada vimos o cara ser inocentado. Claro que a população fez toda uma comemoração, mas nesse caso a justiça acabou não sendo feita e na verdade o que aconteceu foi um verdadeiro conflito racial, onde ficou ainda mais claro o quanto a mídia consegue interferir em casos como este.

Foi uma temporada excelente! Como já disse, o elenco deu um show, inclusive a maravilhosa Sarah Paulson, mas todo o ambiente e toda a maneira que contaram a história foi de um brilhantismo tremendo. Ryan Murphy acertou mais uma vez e ficou impossível não criar expectativas enormes para a segunda temporada, que por sinal já teve seu tema escolhido. O próximo ano terá como centro os crimes de negligência do governo americano com as vítimas do furacão Katrina, ou seja, podemos esperar mais uma temporada de qualidade.

Anúncios