A surpreendente 11.22.63

11.22.63Mais uma que pra mim está entre as melhores produções da TV em 2016.

Que minissérie maravilhosa! Foram oito episódios desenvolvimento uma história interessante envolvendo viagem no tempo e um acontecimento real. Confesso que não estava esperando tanto da série, mas me senti preso desde o primeiro episódio e um após o outro fiquei encantado com tamanha qualidade.

11.22.63 é mais uma adaptação das obras de Stephen King, história onde Jake Epping (James Franco), um professor de língua inglesa é apresentado a Toca do Coelho por Al (Chris Cooper) e tem a chance de viajar no tempo, para ser mais exato voltar para o ano de 1960 e tentar obter sucesso no plano de Al, impedir o assassinato do presidente John F. Kennedy.

Com a produção executiva de J.J. Abrams, a série consegue trazer para a TV uma história um tanto quanto complexa e apresentar para o telespectador algo bacana, onde você começa a ver e não consegue parar até conferir o desfecho. Preciso destacar o trabalho maravilhoso que toda a equipe envolvida fez, até porque cada detalhe estava excelente, principalmente a fotografia que pra mim foi um show à parte.

Vimos um Jake confuso, tentando entender como as coisas funcionavam lá na década de sessenta e se adaptar para poder colocar seu plano em prática. O personagem teve alguns baixos e enfrentou situações complicadas, como o marido abusivo de uma das personagens que precisou matar de uma maneira nada tranquila. Teve também o momento em que foi espancado por bandidos e acabou em coma numa cama de hospital.

11.22.63-aForam vários plots desenvolvidos ao longo dos oito episódios, mas o foco principal da série se manteve firme durante todo o tempo, com seu desenvolvimento acontecendo numa velocidade excelente. Durante boa parte Jake contou com a ajuda de Bill (George MacKay), rapaz com quem construiu uma amizade e acabou se interessando em ajuda-lo a impedir o assassinato. Porém a relação dos dois teve um desfecho complicado, já que Bill acabou saindo um pouco do roteiro e as coisas se complicaram.

O plano de Jake envolvia uma vigia detalhada em torno de Lee Harvey Oswald, o atirador que estaria em Dallas no dia 22 de novembro de 1963 pronto para explodir a cabeça de Kennedy de cima de um prédio. Jake conheceu a maneira de agir, assim como o dia a dia do rapaz e com isso foi desenvolvendo sua estratégia de como impedir que aquilo acontecesse.

Outro detalhe importante é a adição de Sadie Dunhill (Sarah Gandon) na história. A relação entre ela e Jake foi algo maravilhoso de assistir, já que souberam trazer para a TV todo o desenvolvimento daquele romance que mesmo com um desfecho triste, nos presentou com momentos lindos. Sadie era uma jovem e delicada professora, na qual Jake passou a ter fortes sentimentos.

Mesmo com todo o romance, Jake fazia de tudo para seguir com seus planos e no meio do caminho acabou tendo que contar a verdade para Sadie, que teve uma reação surpreende. Não era pra menos, já que ela ficou ao lado de Jake durante toda sua recuperação após o acidente, então nada mais justo que ele ser sincero e lhe contar a verdade. Porém eu imaginei que ela reagiria de outra forma e achei linda a maneira como aceitou ajuda-lo mesmo aquilo tudo parecendo loucura.

11.22.63-cEnquanto colocava seu plano em ação, Jake tinha que enfrentar as forças naturais lhe empurrando de volta e tentando impedir que a linha temporal fosse mudada. Isso aconteceu por diversos momentos, mas lá na reta final, quando o dia em que a comitiva iria acontecer toda a coisa ficou ainda mais séria. A cena de Jake e Sadie subindo as escadas para impedir Lee foi uma obra maravilhosa de assistir. Uma agonia tremenda, com um desfecho ainda melhor.

Jake realmente conseguiu cumprir seu objetivo e impediu que Lee acertasse Kennedy, porém, como consequência Sadie acabou baleada e morreu nos braços dele. Por outro lado, ainda tivemos todo aquele destaque em torno de Jake, com o cara sendo ouvido pela polícia e momento depois ser considerado um verdadeiro herói.

Aí quando eu me perguntava como seria o mundo após ele ‘voltar para casa’, acabei sendo ainda mais surpreendido. Jake encontrou um mundo ‘pós-apocalíptico”, consequência de toda a mudança que acabou fazendo e com isso resolveu voltar e começar tudo novamente.

Os minutos finais da série foram para encerrar a história de uma maneira leve e impecável. Ainda não superei aquela cena linda do Jake pesquisando o nome de Sadie na internet e aparecendo no evento em que ela, já com uma certa idade, estava sendo homenageada por seu trabalho. Ele lhe convidando para uma dança e rolando toda aquela troca de olhares foi maravilhoso, literalmente uma das cenas mais linda de toda a série.

11.22.63-dE foi dessa forma que 11.22.63 encerrou sua trajetória. Foram oito excelentes episódios, com uma história muito bem contada que ainda recebeu um desfecho espetacular. Li alguns comentários negativos a respeito da atuação de James Franco, mas particularmente acho que o ator conseguiu fazer um excelente trabalho na pele de Jake. Uma pena não termos uma continuidade, mas realmente é uma minissérie que vale a pena para conferir.

Anúncios